top of page
  • Foto do escritorRedação

Demanda por seguros de autos no Brasil se recupera em maio e cresce quase 25%



Na análise individual, todos os Estados apresentaram crescimento. Expectativa é de que incentivo do Governo Federal para compra de carros aqueça ainda mais o setor


O mercado brasileiro de seguros de automóveis retomou o bom momento registrado nos primeiros meses do ano. Depois de sofrer a primeira queda de 2023, em abril, a demanda do setor fechou o mês de maio com alta de 24,78%, na comparação mensal. É o que mostra o Índice Neurotech de Demanda por Seguros (INDS). O indicador mede mensalmente o comportamento e o volume das consultas na plataforma da Neurotech, empresa pioneira em soluções de inteligência artificial aplicadas a seguros e crédito.

Na análise individual dos Estados que fazem parte do Índice, todos performaram positivamente na comparação com abril. O ranking ficou assim: Paraná (31,25%); Minas Gerais (26,67%); São Paulo e Rio de Janeiro (ambos com 25,84%), e Rio Grande do Sul (25,30%).

Na comparação Ano x Ano, maio também apresentou crescimento: 11,02% em relação ao mesmo mês de 2022. "Já prevíamos uma recuperação em maio, visto que abril foi atípico em todo ano de 2023 que, até o momento, se mostrou próspero para o setor", afirma Daniel Gusson, head comercial de Seguros da Neurotech.

Ele lembra que, por conta do aumento dos preços dos veículos novos e usados, o valor das apólices também registrou alta em abril, o que pode ter sido amenizado em maio com um cenário de custos mais baixos devido à queda do dólar, que ficou abaixo de R$ 4,90 pela primeira vez em um ano.

"Outro reflexo é a recuperação das vendas de veículos. As compras de automóveis e comerciais leves cresceram 9,65% em maio, segundo a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores). Isso é ótimo e tende a melhorar com a promessa do Governo Federal de reduzir impostos para alavancar as vendas de carros no Brasil, o que ainda não foi sentido", explica Gusson.

Comentarios


bottom of page