top of page
  • Foto do escritorRedação

Brasileiros apoiam punições aos times em caso de racismo

Os fãs brasileiros do futebol apoiam que seus times sejam punidos com condenações, perda de pontos ou de patrocínio caso a torcida da agremiação pratique atos de racismo. O resultado é parte de estudo realizado pela startup Armatore Market+Science junto a 500 torcedores de futebol brasileiros de 19 estados do País. Também participaram brasileiros residentes no exterior.





Segundo o trabalho, 80,6% dos participaram do estudo apoiariam que o próprio time fosse condenado ou perdesse pontos em campeonatos no caso de atos racistas praticados por sua torcida. A visão de que punições são necessárias se estende à relação com as marcas: 73,1% acreditam que cabe a elas deixar de apoiar times e competições caso não haja ação para conter os racistas. Quanto ao comportamento individual, 78,8% dos respondentes afirmam que deixariam de comprar produtos de marcas ligadas aos times com torcidas que praticam atos racistas, no caso de não haver nenhuma providência após o registro das ocorrências.


O estudo, iniciado após as ações racistas de torcedores espanhóis contra o jogador brasileiro Vini Jr, destaca ainda a percepção de que o racismo vai além da Espanha. Para 72,8% dos respondentes, os torcedores espanhóis são mais racistas que os torcedores de futebol do Brasil. Porém, 70,8% da amostra informa não acreditar que bastaria o jogador Vinícius Jr. atuar em qualquer outra grande liga europeia para deixar de sofrer ataques racistas. Sobre a prática do racismo no Brasil, a esmagadora maioria dos respondentes (90%) entende que racismo é uma prática no País e 53% dos respondentes acreditam que Vinícius Jr. sofreria ataques racistas se ainda jogasse no futebol brasileiro.


Sobre a alegação de que o atacante do Real Madrid provoca torcedores e jogadores adversários, 78,1% dos respondentes discordam da afirmação. Quanto aos mecanismos institucionais para defender atletas de ataques raciais, a grande maioria dos respondentes (93,4%) aponta que entidade responsável pelos jogos nos quais as ocorrências de racismo contra Vini Jr aconteceram, a La Liga, deve implantar um sistema de combate ao racismo. A crença dos respondentes não se limita ao futebol espanhol. Para, 91,1% dos pesquisados a CBF também precisa tomar igual medida e implantar um sistema de combate ao racismo no futebol brasileiro.


Sobre casos de discriminação frequentes nos estádios relacionados à homofobia, os respondentes alertam: 64,4% acreditam que os torcedores de futebol no Brasil são tão homofóbicos quanto os torcedores espanhóis são racistas. Por isso, 84,7% dos pesquisados entende que a homofobia nos campos de futebol também precisa receber atenção da mídia.


Sobre a Armatore

A Armatore Market+Science é a pioneira em análise do comportamento de fãs em larga escala no Brasil, por intermédio de Inteligência Artificial. A empresa reúne cases de sucesso em sua atuação para clubes e empresas do setor esportivo. Por meio de IA, ela ajuda organizações dos setores de esporte e entretenimento a aumentar a audiência, converter mais vendas e definir patrocínios mais valiosos.

Komentáře


bottom of page